Kilamba24horas

Pescadores do município de Belas acusam estrangeiros de práticas de arrastão

 Pescadores do município de Belas acusam estrangeiros de práticas de arrastão

Os pescadores do município de Belas estão preocupados com a crescente prática de pesca de arrasto do peixe miúdo denominado “manguana” nas águas territoriais da localidade, revelaram a redacção do KILAMBA 24 HORAS.

Em entrevista aos nossos jornalistas, os pescadores mostraram mostrou total indignação pela pesca de arrasto feito por estrangeiros, considerada ilegal e proibida na costa angolana e onde está a ser feita por navios estrangeiros, com destaque para santomenses, congoleses e vietnamitas.

“O fenómeno de pesca ilegal é preocupante, tendo em conta que os estrangeiros têm praticado de forma ilegal na municipalidade. Não gostei do que ouvi, pois, são denúncias profundas e as autoridades devem actuar, pelo facto de estarem a pescar peixe pequeno, denominado ‘manguana’ com rede zero, que não deixa passar nem já os filhotes”, disse um morador que preferiu o anonimato.

Um outro pescador informou que os estrangeiros estão a usar barcos de arrasto, o que é uma pesca de fundo e é mais efectuada por embarcações da pesca semi-industrial e industrial.

“A pesca artesanal nas duas milhas, em que está autorizada a pesca utilizando arrasto e com rede zero, daqui a mais tempo não vamos ter mais peixe”.

“A actividade da pesca artesanal é reservada para os nacionais e não para os estrangeiros, que têm ocupado o lugar dos nacionais. No entanto, quem está a realizar a pesca de arrasto são os estrangeiros, que foram denunciados em Cacuaco, Barra do Dande, Samba, atrás do Hotel Costa do Sol, onde existem grandes quantidades de tarimbas com este tipo de pescado capturado e que têm dado cabo da fauna”, disse Manuel Azevedo, um outro pescador em entrevista ao KILAMBA 24 HORAS.